Loja Zara é investigada por racismo

A polícia do Ceará abre inquérito para investigar denúncia de racismo na loja Zara de um shopping no estado

Loja Zara é investigada por racismo
Loja Zara do Ceará é investigada por racismo - Foto: Reprodução

A Polícia Civil do Ceará investiga a Loja Zara de um shopping cearense por acusação de racismo.

No dia 14 de setembro, a delegada Ana Paula Barroso, que é negra foi impedida de entrar no estabelecimento conforme registro do circuito interno de segurança.

Segundo a delegada Janaina Siebra, responsável pelo caso, duas ex-funcionárias da Loja denunciaram a existência de um código sonoro para alertar sobre a entrada de pessoas fora do padrão da grife à loja.

Ao suspeitar de que se tratava de gente não bem-vinda, dizia-se “Zara Zerou”. A partir daí, aquela pessoa não era mais tratada como cliente e sim como suspeita.

Siebra conta que a loja foi resistente ao ceder o material, então foi necessário um pedido de busca e apreensão. Após análise, foi constatada a diferença de tratamento entres as pessoas, o racismo.

Sobre a discriminação à delegada Ana Paula Barroso, o assessor jurídico da Associação dos Delegados de Polícia do Ceará, Leandro Vasques, diz que aguarda a manifestação do Ministério Público.

Vasques afirma ainda que cabe uma ação por danos morais.

Em nota, a Zara afirma colaborar com a investigação e garantiu que entre os seus 1,8 mil funcionários existem pessoas de diversas raças e etnias, identidades de gênero, orientação sexual, religião e cultura.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments